sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Faça o que tem de ser feito - Bob Nelson

Postado por Enfim Shakespeare às 11:30 AM
Faça o que tende ser feito - Bob Nelson

Opinião

Procurei a Sinopse do livro antes de fazer a resenha e quando á li descobri que se publicasse a sinopse a resenha não seria necessária.
A mensagem do livro é bem objetiva e já vem escrita na capa "Faça o que tem de ser feito e não apenas o que lhe pedem". 
Sim leitores, esse é um livro de auto ajuda, mas ele vai te ajudar a alcançar a excelência no seu trabalho, mesmo ele sendo o pior trabalho do mundo, ou não.
Gostei do modo que Bob escreveu o livro, ele utilizou exemplos reais e incrementou o conteúdo tornando a leitura mais simples e compreensiva.
Comprei o livro para ler por causa da faculdade, mas percebi que estava precisando de algo assim para a minha vida, agora só falta aplicar o que aprendi.
Fica a dica do livro para quem quiser fazer seu trabalho valer a pena e sair da monotonia.




5 comentários:

Ane on 19 de outubro de 2012 12:13 disse...

Oláa! Gostei da dica ^^
Achei bem interessante o assunto do livro... Acho que umas dicas a mais para o trabalho é sempre bom

Bjooos

http://estoulendoo.blogspot.com.br/

Julia Cedro on 19 de outubro de 2012 12:40 disse...

Oi!

Eu não gosto muito de livros de auto ajuda, por isso, acho que não irei gostar.

Beijos!

Roberta Sheyler on 19 de outubro de 2012 16:00 disse...

Bem... auto ajuda não é bem minha onda de livro! Mas tá ai um boa dica p quem gosta!

bjos
Roberta Sheyler
http://sonhosliterario.blogspot.com.br/

Bruna on 20 de outubro de 2012 16:12 disse...

Não conhecia o livro, acho legal livros que nos ensinam algo...
Beijos

cocacolaecupcake.blogspot.com.br

Portal de Blogs Teia on 6 de janeiro de 2013 21:37 disse...

Olá.
Muito bom, adorei tudo que vi por aqui e olha que eu vejo muitos blogs por dia e o seu é um dos melhores.
Até mais

Postar um comentário

Obrigada pela visita.

Sempre retribuo os comentários *-*

 

Eu li e Comentei Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos